- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

- * - * - * - * - * - * - * - * - * - * -

CONHEÇA O ESPIRITISMO - blog de divulgação da doutrina espírita


segunda-feira, 22 de maio de 2017

CONVÉM REFLETIR

“Mas todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” — (TIAGO 1:19)

Analisar, refletir, ponderar são modalidades do ato de ouvir. É indispensável que a criatura esteja sempre disposta a identificar o sentido das vozes, sugestões e situações que a rodeiam.
Sem observação, é impossível executar a mais simples tarefa no ministério
do bem. Somente após ouvir, com atenção, pode o homem falar de modo edificante na estrada evolutiva.
Quem ouve, aprende. Quem fala, doutrina. Um guarda, outro espalha.
Só aquele que guarda, na boa experiência, espalha com êxito.
O conselho do apóstolo é, portanto, de imorredoura oportunidade.
E forçoso é convir que, se o homem deve ser pronto nas observações e comedido nas palavras, deve ser tardio em irar-se.
Certo, o caminho humano oferece, diariamente, variados motivos à ação
enérgica; entretanto, sempre que possível, é útil adiar a expressão colérica para o dia seguinte, porquanto, por vezes, surge a ocasião de exame mais sensato e a razão da ira desaparece.
Tenhamos em mente que todo homem nasce para exercer uma função
definida. Ouvindo sempre, pode estar certo de que atingirá serenamente os fins a que se destina, mas, falando, é possível que abandone o esforço ao meio, e, irando-se, provavelmente não realizará coisa alguma.

Fonte: CAMINHO, VERDADE E VIDA
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER/EMMANUEL
imagem: google

sábado, 20 de maio de 2017

REENCARNAÇÃO E CONSCIÊNCIA

                A reencarnação é instrumento do progresso do ser espiritual. Ora ele expia, quando são graves os seus delitos, submetendo-se às aflições que constituem disciplinas educativas, mediante as quais se fixam nos painéis profundos da consciência os deveres a cumprir. Noutras vezes, são provações que enrijecem as fibras morais responsáveis pela ação dignificadora.
                Longe de ser uma punição, a dádiva do renascimento corporal é bênção do Amor, auxiliando o espírito a desenvolver os recursos que lhe jazem latentes, qual terra arroteada e adubada em condições de transformar a semente diminuta no vegetal exuberante que nela dorme...
                Diante dessa realidade, amplia a tua consciência pela meditação e age com segurança ética, entregando-te ao compromisso de iluminação desde agora.
                Nunca postergues os deveres a pretexto de que terás futuras oportunidades.
                A tua consciência dirá que hoje e aqui estão o momento e o lugar para a construção do teu ser espiritual, que se deve elevar, libertando-se dos atavismos primitivos e das paixões perturbadoras.
                A consciência da reencarnação impulsionar-te-á ao progresso através do amor e do bem sem alternativas de fracasso, porque a luz da felicidade brilhando à frente será o estímulo para que alcances a meta.
                Sem a reencarnação a vida inteligente retornaria ao caos e a lógica do progresso ficaria reduzida à estupidez, à ignorância.

Fonte: MOMENTOS DE SAÚDE E DE CONSCIÊNCIA
Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis      
imagem: google 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

FESTIVAL DE BÊNÇÃOS II

                Comprometido com a vida, estagias no educandário terrestre, sob disciplinas necessárias ao crescimento e à conquista da paz.
                Atado à retaguarda por vínculos infelizes, experimentas as constrições de que dependes, embora anelando por libertação.
                Age, enquanto é hoje.
                Ajuda, além do teu limite.
                Cresce, pelo desprendimento de ti mesmo e auxilia os que te retêm no Dédalo das aflições.
                Não marchas a sós, sem companhias com as quais sintonizas em razão do pretérito, tanto quanto dos objetivos que te fascinam a mente e o sentimento.
                Eleva o padrão das tuas aspirações e trabalha o solo dos teus desejos, semeando a luz do amor, a fim de que o amor te responda com paz por cada lance de sacrifício e luta.
                Vigia as nascentes do sentimento não te canses de aprender, ensinar e viver a lição do otimismo que ressuma da palavra do Senhor.
                Um dia, bendirás todo este esforço e, ao praticá-lo, desde agora, compreenderás que a verdadeira felicidade nasce como uma suave claridade estelar que atinge a plenitude e absorve toda a sombra e tristeza, num festival de bênçãos para o espírito.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

quinta-feira, 18 de maio de 2017

FESTIVAL DE BÊNÇÃOS I

                Não desdenhes os valores inapreciáveis do serviço cristão, no teu processo de renovação espiritual.
                Não desconsideres a contribuição ao sofrimento, na programática do teu crescimento íntimo.
                Não subestimes os testemunhos da renúncia e da humildade, no esforço de libertação pessoal.
                Não desdenhes as ciladas morais na vilegiatura carnal, durante a aprendizagem espírita.
                Não desprezes o contributo do estudo e da meditação, face aos compromissos da tua própria evolução.
                Não te escuses ao trabalho, por mais insignificante ou mais expressivo, que te constitui desafio à comodidade, perante a escalada do teu progresso.
                Não te infirmes, na condição de aprendiz, colocado como estás no processo de educação espiritual.


Fonte: ALERTA – Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis
imagem: google

quarta-feira, 17 de maio de 2017

CÂMBIO

Deus te escuta a oração.
Nunca duvides disso.
Toda prece, porém,
É um diálogo em paz.
Quanto pedes por ti,
Pede-te o Céu por outros.
Há quem espere auxílio
Em tua própria casa.
Não longe, irmãos em prova
Rogam-te amparo e bênção.
Necessitas de Deus.
Deus precisa de ti.


Emmanuel
imagem: google

terça-feira, 16 de maio de 2017

SOFRIMENTO ANIMAL

Pergunta - Fale sobre o uso de animais como cobaias.
Resposta - Os animais, não importando a espécie, são seres que compartilham conosco as experiências da reencarnação. Eles estão aqui para aprender com as mais diversas situações que o mundo físico lhes oferece e evoluírem. Eles não existem para nos servir e para serem objetos de experimentos de nossas formas primitivas de obter a cura ou para outros fins laboratoriais. O Espírito de Verdade diz em O Livro dos Espíritos que, em nenhum momento, Deus lhe deu a liberdade de abusar dos animais. Pelo fato de não entendermos o que sentem os animais, os consideramos desprovidos de inteligência. Por não entende-los, os vemos como estúpidos e por isso poderiam ser usados como objetos de nossas experiências laboratoriais, por exemplo. O Espíritos de Verdade refere-se aos animais como seres que estamos longe de conhecer na sua totalidade. Isso foi dito há quase duzentos anos e agora já estamos mais próximos de entende-los e saber de muitos detalhes importantes que não conhecíamos e, na verdade, nãos fazíamos questão de conhecer, séculos atrás, quando os animais não eram considerados mais que objetos. Se, naquela época, alguém dissesse que eles tinham alma seria imediatamente ridicularizado. Hoje não se justifica o uso de animais em experiências de laboratório porque há sabemos que são seres inteligentes e sentem tanto quanto nós. Essa prática primitiva de uso de cobaias deveria ser abandonada rapidamente, pois é um fator de atraso de nossa evolução. O organismo deles é diferente do nosso em vários aspectos e por isso reage de maneiras diferentes às substâncias químicas que seriam usada em humanos. A talidomida foi testada em animais e mostrou-se segura, no entanto, ao ser usada em humanos provocou graves deformidades em bebês.
            O uso de práticas alternativas, como a acupuntura, homeopatia (em substituição a, por exemplo, anestesia) dispensam o uso de substâncias químicas na terapias. Ainda existem métodos de  se testar medicamentos por intermédio de simuladores.


Fonte: A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS – Marcel Benedeti
imagem: google

segunda-feira, 15 de maio de 2017

O PERDÃO NAS DORES E AFLIÇÕES II

                Existem duas formas de encarar o sofrimento: com a revolta ou a compreensão. A revolta faz com que soframos ainda mais. Já a compreensão alivia o sofrimento. Partindo do pressuposto de que somos inteiramente responsáveis pelo nosso sofrimento, a compreensão será também um aprendizado que nos levará à prevenção de sofrimentos futuros, além de ser um contraste da felicidade.
                No “Sermão da Montanha”, Jesus nos diz: “Bem-aventurados os aflitos porque serão consolados”. Ao fazer essa afirmação, Jesus demonstra a importância das aflições para atingir a nossa maturidade psicológica. Bem-aventurados significa felizes, e ninguém ficará feliz se estiver envolvido em revolta.
                A revolta é prova de orgulho. Mas como podemos ser orgulhosos nós que somos tão pequenos? Uma simples gripe é capaz de nos matar. É por isso que a aflição é uma professora e, se prestarmos bastante atenção em suas aulas, seremos consolados.
                A partir do momento em que assumo a total responsabilidade pelos atos cometidos no passado, e que deram origem a atual aflição, não os cometerei mais ou pelo menos evitarei cometê-los. Terei atitudes exatamente contarias à que tenho vivido até então e, dessa forma, me livrarei daquela aflição.
                Um outro elemento fundamental para os momentos de aflição é a confiança em Deus e fé no futuro, ou seja, ter a convicção de que estamos na Terra de passagem e que tudo aqui é provisório. O sofrimento é provisório e tão logo passará, assim que retirarmos a lição de que necessitamos dele.
                Mas, às vezes, temos dificuldade de identificar as causas das aflições e sofremos por isso. Nesses momentos, é necessário aceitarmos a condição de seres frágeis que somos e buscarmos a ajuda do Altíssimo.
                Os católicos buscam esta ajuda de forma interessante. Ajoelham-se para orar. Este é um ato de humildade pois para ajoelharmos é necessário dobrar a nossa crista. Temos que nos colocar abaixo de Deus. Ao ficar de joelhos, um centro de energia que fica em nossa cabeça se abre.
                Aberta a nossa mente, a Mensagem Divina penetra em nosso ser, tudo fica claro e nosso espírito protetor dará todas as instruções de que precisamos para sair daquela situação. “Bem-aventurados os aflitos, porque eles serão consolados”. Nosso espírito protetor é nosso guardião, nunca nos abandona. Ele representa a presença de Deus em nossa vida mas, quantas vezes nós fechamos a nossa mente para os conselhos que Ele tenta nos inspirar?


Do livro: Terapêutica do Perdão – Aloísio Silva
imagem: google